Alumiada

A vida nos inventa muito melhor.

dezembro 30, 2005

Todo tato, se me enruga, vira página.


Eu teço canções.

Mantras.

Palavras aquecidas no fundo de um caderno.

Tenho alma errante.

Escassamente farta.

Cheia de prefácios.


Como poesia de rodapé.

Sou curta.

Pequena.

Cismada.



15 Comments:

  • At janeiro 05, 2006, Blogger Rubens da Cunha said…

    muito bom este poema
    quase triste, muito sensível
    rubens

     
  • At janeiro 10, 2006, Anonymous Anônimo said…

    Tato Zonzini

    www.zonzini.blogger.com.br

    Me arrepio! Meu nome aqui... Desde as propriedades organolépticas às linguagens de sinais. Dos amarelos aos tons pastéis; escreves, leio, nós, você e eu.

     
  • At janeiro 16, 2006, Blogger Cláudio B. Carlos (CC) said…

    Muito bom.


    Beijos do CC.

     
  • At janeiro 18, 2006, Anonymous Tutti said…

    Cadê seu arquivo de janeiro/2006, Diana-Dru? Cadê?

     
  • At janeiro 19, 2006, Anonymous Diana-Dru said…

    Tutti,
    estou em falta com a poesia. ou ela está de castigo comigo.muita coisa escrita mas nenhuma coragem pra postar. aprendo, a duras penas, que nem tudo é poema mesmo que pareça poético. e creio que esta maturidade, nasce mesmo desse cuidado em não menosprezar a força da palavra. assim, peço sua paciência, viu! em breve, tudo pode ser. :-) meu beijo e carinho, Val

     
  • At janeiro 19, 2006, Anonymous Tutti said…

    Ora... Diana-Dru, ora... Val, paciência eu tenho. Apenas quero de volta aquela sua poesia que já é, aquela que aqui já esteve e que depois sumiu neste janeiro/2006. Vamos, encoraje-se. Sem poesia a gente não vive; sem poema, sim. Abraços quase indolentes.

     
  • At janeiro 19, 2006, Anonymous Diana-Dru said…

    Tutti, (rindo aqui) estou tentando lembrar qual poema retirei...não foram muitos mas não sei qual. me dá uma dica, só? pedidos, este mês, antes que termine, ainda atendo. :-) beijos.

     
  • At janeiro 20, 2006, Anonymous Cherry said…

    Diana!! Sua danadinha!! Te encontrei!! rs.. E bem no dia do seu aniversário, hã? ;-)
    Parabéns moça... posso não comentar sempre, não me mostrar presente, mas estou... Até qdo muda de end. eu te acho! rs.. Na verdade quem me deu seu end. foi a Loba. E ela só não vem aqui pq o pc dela tá com problemas, mas pediu pra q vc passasse no blog dela e que lhe escrevesse um email. Ela precisa de ti urgente!!!
    Pronto! Parabésn dado, recado dado, vamos ao post...
    Eu tb sou curta. e pequena... por fora. Mais dentro.. há em mim uma imensidão de tudo... de tudo tanto q ando displicente com a poesia q (deveria) ha(ver) em/pra mim...
    Sabe como é isso?


    Beijos moça e nova/te: parabéns!

     
  • At janeiro 20, 2006, Anonymous Clarice said…

    A Loba deu a direção e chego aqui agradecida. Não li até o fim da página mas volto, se me permitires. Um abraço

     
  • At janeiro 21, 2006, Anonymous Anônimo said…

    Um Feliz Aniversário p Vc , e boas poesias p 2006!!!
    Taís

     
  • At janeiro 25, 2006, Anonymous mario cezar said…

    sim diana. abraços-pólens. como se uma pérola abrisse seu nome e fartasse os olhos carentes. sim diana abraços em tons de chuva. em minhas férias tenho navegado por lugares tecidos em orvalho. em algum momento espiei paisagens feitas com teus poemas. parece que voc~e aniversariou. então meus beijos (mesmo que tardios)

     
  • At janeiro 27, 2006, Anonymous Patrício said…

    Muito bom mesmo.

     
  • At janeiro 28, 2006, Anonymous Tutti said…

    Diana, você me pede uma pista sobre a sua poesia que sumiu daqui, mas como dar pistas concretas, objetivas de um poema, um verso, uma frase lidos uma única vez? Não tenho pistas a lhe dar. Tenho, sim, a lembrança do impacto que aquela primeira leitura provocou em mim. Isso não sensibiliza você? Que tal um gesto de humanidade? Destramele seu relicário e deixe retornar ao seu blog a alumiada poesia que você mesma recolheu daqui. (Agora, emerge um título: Closed. Você acaso tem um poema com esse título?). Abraços ainda um pouco indolentes.

     
  • At janeiro 28, 2006, Anonymous loba said…

    pronto! ainda de braço na tipóia, mas de micro formatado. agora não há letrinhas que me segurem. ainda que eu continue sem saber o que dizer. mas deixo meu carinho e minha sempre admiração. com beijos. bom domingo pra vc, moça-poeta!

     
  • At janeiro 29, 2006, Anonymous Val said…

    Tutti: lembrei. vc fala do The Closet - ou O Almário. :-) engraçado, não gostei dela...risos...falta-lhe algo que não sei o quê. Mas sim, atendo a pedidos, sim. Lá vai ou, aqui está. meu beijo!

     

Postar um comentário

<< Home