Alumiada

A vida nos inventa muito melhor.

maio 19, 2006

Caçada

Achei tua roupa perdida.
Uma calça
Uma camisa
E uns fios
Desse meu cabelo
Suicida
Entre os lençóis.
Vivo.

15 Comments:

  • At maio 19, 2006, Anonymous eduardo said…

    Muito lindo. Parabéns!!!!!!!

    http://dudve.blogspot.com/
    http://cartasintimas.zip.net

     
  • At maio 20, 2006, Anonymous Wesley Peres said…

    Valéria,poesia laminar, e sem perder as nervuras da vida. Belo poema, belo!
    Posso publicar algum de seus poemas em minha Sala?
    Bjs

     
  • At maio 20, 2006, Blogger borac said…

    Gosto do que você faz, porém é tudo recente demais para se ter impressão, comentar e/ou ate mesmo ter frases feitas a respeito.

     
  • At maio 20, 2006, Anonymous mario cezar said…

    o coração quer ser possuído de pássaros

     
  • At maio 21, 2006, Anonymous Ceci said…

    Ah! o cotidiano se repete no mundo inteiro, uma camisa perdida e um fio de cabelo entre lençóis" Caramba, Te deixo meu abraço e parabéns pela síntse.

     
  • At maio 21, 2006, Anonymous leila said…

    os fios, sim, em qualquer lugar que se olhe. Um domingo lindo, bj.

     
  • At maio 21, 2006, Anonymous Tutti said…

    Quando o olhar dos poetas se debruça sobre os vestígios, a literatura se salva. Beijos pra você, Valéria.

     
  • At maio 22, 2006, Blogger Ilidio Soares said…

    Vivaço. Por tanto suicida pela meia, porque pela outra clama vida e não larga dela. Que bom. Isso é fundamental
    abçs
    Ilidio

     
  • At maio 23, 2006, Anonymous Wesley Peres said…

    passei só para deixar meus bjs
    (na verdade vim ver se havia novo poema postado rs)

     
  • At maio 23, 2006, Blogger Helder Ribau said…

    vim visitar-te... gostei muito

     
  • At maio 25, 2006, Blogger Tato Zonzini said…

    Daquelas peças que o cheiro não sai nunca. De repente parecia dançar, andar sozinha. Correu atrás eufórica.
    Chorou quando, já em si, vestiu o próprio corpo com saudades.

     
  • At maio 25, 2006, Anonymous loba said…

    O que mais gosto na sua poesia é que precisa de pouco pra dizer muito. E eu, babando de feliz por ler.
    Beijos

     
  • At maio 26, 2006, Anonymous dira said…

    a gente sempre fica, viva por um fio, ate que outro choque nos acorde...dissonantemente...rs

     
  • At maio 27, 2006, Anonymous Dora said…

    Uma mistura de elementos que restaram...perdidos...Os cabelos se perderam, mesmo! Mas, por essa perda, eles estão mais vivos agora.
    (depois da "bronca" da Loba...lá...vou levar bronca aqui..., acho...rs).
    Beijos.
    Dora

     
  • At junho 28, 2006, Blogger Clauky Saba said…

    "E uns fios
    Desse meu cabelo
    Suicida"

    esses fios dão o que falar... e sua poesia tb - adorei a concisão criativa!

    Poetabraços

    Clauky

     

Postar um comentário

<< Home