Alumiada

A vida nos inventa muito melhor.

maio 05, 2006

Ciranda (sem essa de super herói)

Temo ida e vinda
E um mesmo lugar
Temo verbo esquisito
Violento
E ouso engrossar:

Temo gente

Temo gente que não admite
E Poesia é isso e aquilo

Temo(s) tantos ritmos
Tantas metrópoles

Temo palavra
Temo tudo o que é muito

E se arde
Mas não dói fundo

Temo(s) amor pequeno.

11 Comments:

  • At maio 05, 2006, Blogger Ilidio Soares said…

    O " sem essa de super herói" quase decreta todos os temos e temores pra vala funda dos que não admitem. Nem um nem o outro. E quer saber? Quem ousa aqui sou eu.rs. Ouso dizer que quando não arde é pq passou só no superficial. E isso é pequeno? Não, Valéria, isso é infâme. Que bom ter você pra "engrossar" esse caldo frio, torpe e medroso dos que voam a meia altura. Parabéns.
    abçs
    Ilidio

     
  • At maio 05, 2006, Anonymous Ney Alexandre said…

    Se temos amor, temos tudo! Abraços.

     
  • At maio 05, 2006, Anonymous Tadeu Militelli said…

    Na noite de lançamento de livro de uma pessoa querida, também sua amiga, nos conhecemos. Lembro de ter lhe dito que estava como um peixe fora d'água apesar de me considerar um leitor razoável. Lembro também que ao perguntar se você também escrevia ou como eu, era apenas uma leitora curiosa, você, com uma humildade que não é nada peculiar nos dias literários de hoje, me respondeu que não. Hoje, estava lendo uma crônica do Zé Rezende e acabei vindo folhear os blogs. Encontrei o seu por acaso. E estou aqui para dizer que mentir é muito feio, D. Valéria. Se você não escreve ou não exercita, como disse em um dos seus belos textos, o que se dá então? Mas esta pergunta, responda para o meu e-mail pois escrevi a você. Melhor dizendo, tomei a liberdade de. Um abraço.

     
  • At maio 06, 2006, Anonymous Dira said…

    comunidade da valeria freitas, vulgo diana-dru:

    http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=13028562

    no ORKUT

     
  • At maio 06, 2006, Anonymous dira said…

    Agora, sobre esse poema eu ja comentei com vc sobre. nada a dizer, ando em fúria com o mundo.

    mas, (abrindo um parenteses aqui) pqp ao comentário do Ilídio, esse cara é o fim do mundo, em termos de grande escritor, grande comentador e ainda, grande ousador. pqp!!!!!!

     
  • At maio 07, 2006, Anonymous Dora said…

    Eu temo seus "temores", como temo seus escritos, os do Ilídio e os de outros alguns por aí, nesse mundão!
    Amor pequeno não é amor...É como aquele caso da "meia-verdade"...
    Deve temer amor pequeno.
    Só não deve temer a PALAVRA que, de há muito, se tomou de amizade e afeto por você.
    Beijos meus, com algum temor.
    Dora

     
  • At maio 07, 2006, Anonymous Tutti said…

    É isso, Valéria. Usar palavras pra se empalavrar não é mesmo pra qualquer um. Gosto de observar suas ousadias. Muitas delas acrescentam um colorido novo à ciranda dos meus dias. Abraços.

     
  • At maio 08, 2006, Anonymous eduardo said…

    Maravilhoso poema. Parabéns!!!!
    http://cartasintimas.zip.ne
    r
    http://dudve.blogspot.com/

     
  • At maio 08, 2006, Anonymous eduardo said…

    Maravilhoso poema. Parabéns!!!!
    http://cartasintimas.zip.net
    http://dudve.blogspot.com/

     
  • At maio 09, 2006, Anonymous Anônimo said…

    Que coisa lindíssima é essa?
    Tô vendo que perdi demais por não ter tropeçado aqui antes. No meio do caminho há pedras... e tanta poesia. Beijo!

    Ernesto Diniz
    http://ernesto.naselva.com/blog

     
  • At maio 10, 2006, Anonymous loba said…

    Eita! A moça deixou-se invadir pela poesia novamente! Poemaço, viu? E vc tá me dando umas idéias...rs... acho que vou de cooptar!!!
    Beijãozão

     

Postar um comentário

<< Home