Alumiada

A vida nos inventa muito melhor.

julho 22, 2006

A Anistia do Adeus


Não há verbo.
Há o olhar que asila o seu:
Torto, desavisado e casmurro.
Espalhado sobre a mesa,
Como pão.




 

10 Comments:

  • At julho 24, 2006, Anonymous Anônimo said…

    Val, querida, há tempos não comento seus escritos, apenas leio e aprecio. Esse é muito belo. Um retrato de cotidiano.
    Beijos

    PS: Ainda aguardo seu relato de novidades. As minhas, além do novo endereço, são as primeiras férias no novo trabalho.

     
  • At julho 25, 2006, Anonymous Dora said…

    Li você lá no Miolo, no comentário à Loba e a segui...rs Agora
    me confundi de vez!!!! Que blog é esse? Não é Diana? rs Desculpe-me a maluquice...
    Vim me certificar do projeto do Carpinejar...
    Depois volto...
    Beijos.
    Dora

     
  • At julho 26, 2006, Blogger Loba said…

    É isso, moça. Vai trazendo aos poucos o que anda guardando! rs...
    Este parece uma pintura - uma tela onde o pão sobre a mesa espia a vida!
    Beijoconas

     
  • At julho 26, 2006, Anonymous dira said…

    lindo demais, val. sua cara, pq desfila, perfila a palavra que vc deixa nua de se ver. beijo e saudade.

     
  • At julho 26, 2006, Anonymous Dora said…

    Valéria Freitas! rs Que esquisito...
    Vamos lá! Esse olhar que se assemelha ao pão é formado de misturas: tem trigo,que veio da semente, lá do campo!! Era grão, antes de tudo..Era mais no chão que na "mesa". Olha a raiz desse olhar(pão)!!!
    Belo!
    Beijo.
    Dora

     
  • At julho 29, 2006, Anonymous mario cezar said…

    voltei

     
  • At julho 30, 2006, Anonymous leilalopes said…

    melhor imagem impossível. beijo e a saudade de sempre.

     
  • At julho 30, 2006, Anonymous Geórgia said…

    belo! belo!

     
  • At julho 31, 2006, Blogger Ilidio Soares said…

    Como o pão...depois dessa, Valéria, só mirando o exílio prá lá de avisado que nos reservaram. Lindo.
    abçs
    Ilidio

     
  • At agosto 12, 2006, Anonymous Márcia said…

    Brvíssimo. Aparentemente simples e belo: como o pão.
    Um beijo daqui.

     

Postar um comentário

<< Home